26 de setembro de 2010

O "novo calvinismo" é fervoroso e carismático

Há um tempo, este jovem pentecostal clássico, esfomeado pela autenticidade, pela verdade e pela glória suprema do Eterno, tem se rendido ao pensamento calvinista. Isso porque muitas pessoas também tem se rendido, e eu tenho sido mais uma vítima. A revista Time (americana), em sua lista das 10 influências mais importantes no mundo na atualidade, listava como 3º pensamento mais influente no mundo o neo-calvinismo ou "novo" calvinismo, como queiram, e, através de homens como John Piper, C. J. Mahaney, Tim Keller, Waine Grudem e outros, tenho aberto meus olhos para algumas coisas e tenho percebido quão errado tenho pensamento e agido nestes anos de caminhada. Sim, este jovem tem pensamento muito a respeito. sim, ainda sou pentecostal. Sim, sou um amante da verdade.

Abaixo transcrevo uma parte do texto do pastor Juan de Paula, que, à partir de 2004, se uniu a alguns milhares e também se curvou ao pensamento neo-calvinista. Ele lista 6 pontos entre o "novo" calvinismo x o "velho" calvinismo, e abaixo trascrevo o 4º ponto, onde ele coloca o neo-calvinismo como sendo fervoroso e carismático:

 O “novo” calvinismo é fervoroso e carismático. John Piper salienta “por um lado, temos os conservadores, extremamente meticulosos com as idéias acerca de Deus e com a preocupação de ter as doutrinas corretamente estabelecidas, aos quais digo: amém! Estou com vocês. Por outro lado, temos os carismáticos, perdidamente simplórios com relação à doutrina e entregues à emoção – levantam as mãos e batem palmas, seus pés pulam e eles sentem algo diferente, caso contrário o Senhor não está naquele lugar! Também estou com Eles! Odeio a separação entre os dois. Farei todo o possível, dentro das minhas forças e enquanto estiver vivo, para ajudar essas pessoas a enxergarem que elas estão dando a Deus apenas à metade da sua glória. Conhecer a Deus verdadeiramente e não sentí-Lo de forma devida é dar-Lhe apenas metade de Sua glória. Sentí-Lo de forma devida e não conhecê-Lo verdadeiramente é dar-Lhe apenas metade de Sua glória. Devemos dar a Deus toda a Sua glória, assim como Jonathan Edwards destacou.” (PIPER, O alvo do aconselhamento bíblico é a glória de Deus In Coletâneas de Aconselhamento Bíblico, vol. 6).

O “novo” calvinismo, se não em todos os seus adeptos, mas em considerável parte, aceita a atualidade, contemporaneidade e continuidade dos dons extraordinários dados pelo Espírito Santo em detrimento do cessacionismo defendido por boa parte dos eruditos reformados. O “novo” calvinismo posiciona as afeições cristãs, parodiando Jonathan Edwards, em seu devido lugar com bom uso das manifestações físicas. 

Texto completo aqui

2 comentários:

Pr. Lauro Henchen disse...

Os carismáticos, que acreditam no batismo com o Espírito santo, devem ler o blog: www.laurohenchen.blogspot.com

Cleison Brugger disse...

Considero mais proveitoso, se o amado expusesse, biblicamente, aqui, sua opinião a respeito.

Postar um comentário