13 de setembro de 2010

Contrários a liberdade

 por Gustavo Guilherme

Todo mundo tem medo. Alguns os enfrentam, outros se deixam dominar por eles.
Eleuterofóbico é o nome dado a todo aquele que tem medo de ter liberdade, ou melhor, é todo aquele que tem ojeriza, aversão ou medo mórbido de assumir responsabilidade ou adquirir autonomia em qualquer área de sua vida.

Ah! Como eu lamento por conhecer inúmeras pessoas que sofrem, sem saber, desta triste fobia. Homens e mulheres que um dia ouviram o chamado à liberdade de Cristo, decidiram-se por seguir sua voz, mas que foram oprimidos por líderes tiranos que apregoavam um outro evangelho, cujo deus não passa de um tirano cruel e mesquinho. Ou até mesmo pessoas que nunca foram aconselhadas ou encorajadas a pensar por si mesmos.

A maioria dos cristãos que conheço têm preguiça de assumir uma postura sobre determinado assunto,  e conformam-se à sombra da opinião de seus líderes. Aliás, para alguns, a necessidade de assumir autonomia e responsabilidade sobre tudo aquilo que pensamos, pregamos, cantamos, etc. chega a ser um escândalo. Cantamos as músicas que mais tocam nas rádios, mesmo que elas digam que deus é fraco e tolo; pregamos mensagens enlatadas e aplaudimos pregadores viciados em jargões que não passam de mentiras; colocamos no pedestal todo aquele que possui um talento qualquer, mesmo que não passe de um mau caráter.

Liberdade e autonomia… Entristeço-me ao notar que estes dois pilares da mensagem de Jesus não passam de mitos neste evangelho apregoado por muitos atualmente. Falamos de liberdade, mas não a vivemos em sua plenitude. Fomos reconciliados por Cristo a Deus, através de sua Graça, que nos garante liberdade, mas preferimos utilizar os púlpitos para manipular pessoas, ao invés de mostrá-las o quão valioso é viver em novidade de vida, assumindo a importância de viver livre e de pensar a respeito das coisas.

Deus não nos deu líderes para que estes manipulem a nossa opinião sobre tudo, ou para que pensem por nós, mas para que nos incentivem a exercer a fé sem ilusões e mentiras: totalmente livres. 


4 comentários:

Robson disse...

Cleison, lembra que eu comentei aqui? Já te adicionei no MSN e já te mandei e-mail, mas não me respondeu.

Olha lá!

Cleison Brugger disse...

Verdade Robson, ultimamente tenho me alienado um pouco do MSN, mas logo que puder, te responderei.

Abração.

Karin Cláudia Rozendo dos Santos disse...

Olá, querido Cleison!
Muito obrigada!
Gostei muito desta palavra postada. Hoje, enfrentamos tantas difilcudade para pregar a Palavra de Deus - a única e verdadeira. Porém, utilizemos estes meios (os blogs) para falar do amor de Jesus também por aqui. Vamos jogar essas cosmovisões da Modernidade, que tanto tenta afastar o povo da Verdade, por terra.
A paz de Cristo!
Grande abraço!

Cleison Brugger disse...

Obrigado Karin!
Realmente, vemos hoje em dia, uma exacerbada displicência ao evangelho verdadeiro, e é de suma necessidade que se levantem apologistas sérios, que não temam as opiniões divergentes e controversas, e que, através das letras, estejam em busca de um cristianismo essencialmente ortodoxo. Se querem nos moldar a cosmovisão pós-moderna, que apresentemos a eles, pelo falar e pelo viver, quão real impressionante e surpreendente é a cosmovisão dada através do evangelho de Cristo.

Deus te abençoe grandemente, e obrigado por sua participação aqui, ela é de extrema importância.

Postar um comentário